Blog

Quando a ajudar parte de quem a gente menos espera!

A CES já atendeu milhares de famílias ao longo dos seus quase 65 anos de existência, e sempre com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos seus pacientes. E às vezes somos surpreendidos por atitudes das famílias que nos enchem de alegria. A família da Maria Antônia é uma delas. Vamos contar um pouquinho para vocês:

A Maria Antônia nasceu em Itanhaém, no Litoral Sul do Estado de São Paulo. Foi diagnosticada com síndrome de Down, e para que tivesse um bom desenvolvimento, precisava de um tratamento especializado. Foi assim que Regiane, mãe de Maria Antônia, indicada pelo pediatra, começou uma busca pela Baixada Santista por clínicas que realizassem tratamento com fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia e neuropediatra, e encontrou a CES. Maria Antônia chegou à CES com 3 meses de vida.

Regiane conta como sua chegada na Instituição: “Fiquei impressionada ao ver que mesmo sendo gratuito, o tratamento oferecido aqui é de alta qualidade. Senti que realmente estava em casa. Todos nos trataram com muito acolhimento e amor, hoje somos uma família.”

Maria Antônio

Como forma de agradecimento e de forma voluntária, Regiane ajuda a CES como pode, é doadora automática no programa Nota Fiscal Paulista, doa itens para o Brechó e divulga o trabalho da CES de forma em suas redes sociais. Para Regiane essa atitude é uma forma de retribuição: “Não tenho palavras para expressar o que sinto por esse lugar. Aqui a Maria Antônia se tornou mais independente e aprendeu tudo o que sabe, desde a primeira vez que ela conseguiu apoiar os bracinhos na cama até a começar a andar. Por isso, ajudo de todo o meu coração e quero incentivar todos a ajudarem sempre.”

Perguntamos a Regiane qual mensagem ela deixaria para as pessoas que não conhecem a CES: “Os tratamentos oferecidos aqui são de alto custo e mesmo assim são oferecidos de forma gratuita, ajudando assim famílias que não conseguiriam proporcionar a mesma qualidade de tratamento médico e terapêutico para seus filhos e conhecidos. Para que minha filha e seus amiguinhos consigam continuar com os atendimentos, a ajuda de todos é muito importante. Por isso, se você puder, ajude!”

Quer saber como você pode ajudar no tratamento de crianças como Maria Antônia?

Clique aqui

Newsletter

Ícone Whatsapp